Restaurante Tombalobos – Portalegre

No último Domingo, durante um passeio pelo Alentejo…  passamos por Portalegre e resolvemos parar para almoçar… Como não conhecíamos nenhum restaurante, nem nos tinham feito qualquer recomendação, resolvemos escolher pelas indicações do TripAdvisor… encontramos o Restaurante Tombalobos e fomos experimentar…

O que achamos do restaurante? Adoramos!!! Segundo quem nos atendeu… o restautrante foi construído numa parte de um antigo convento… daí o tipo de arquitectura encontrada… apesar do estilo do restaurante… é um restaurante alentejano, mas com uma decoração muito atual… com um ambiente  muito acolhedor… Quanto ao atendimento, as pessoas que nos atenderam foram muito simpáticas,  atendimento rápido… não perdemos uma tarde de passeio a almoçar… Não tínhamos feito reserva, mas conseguimos uma mesa bastante simpática… Tinha desde almoços de família a acontecer… até turistas,como nós, que estavam degustando as maravilhas da culinária alentejana…

O menu não é demasiado extenso, mas possui bastante alternativas de pratos… Não fomos muito criativos, ambos optaram pelo porco preto… eu escolhi as barriguinhas de porco preto no forno, com migas de farinheira de acompanhamento…. o Rui optou pelas bochechas de porco preto grelhadas com espinafres e batatas… A carne estava extremamente macia… com um sabor divinal!! tanto um prato quanto o outro… acompanhamos com vinho branco… que para mim…foi perfeito… visto o dia estar extremamente quente… e o vinho branco fresquinho… caiu muito bem!!

O restaurante apesar de ser do “tipo gourmet”… não era gourmet no tamanho das doses… comemos…. partilhamos um com o outro para provarmos os dois pratos… e saímos bastante satisfeitos… optamos por não comer entradas… mas claro… que não deixamos de comer a sobremesa… eu comi o torrão real… um doce conventual… muito bom… mas não ficou nos meus preferidos…. o Rui, para variar, optou pelo leite creme queimado na hora… estava muito bom!!! 

Resumindo…Recomendo!! o preço é bastante justo para o nível da comida que comemos, ambiente e atendimento… se tiverem oportunidade… ao passarem por Portalegre… não deixem de experimentar o Restaurante Tombalobos… se já conhece… deixa seu comentário… e o que achou… se não conhece…. quando for, comente…se concorda ou não comigo…

Espero que tenham gostado…e até o próximo Naboavida.blog… 

Advertisements

Monte Saint Michel

Sabe aquele lugar que você sempre ouviu falar… viu fotos… e diz… gostava tanto de ir lá!! e de repente tenho que ficar um Domingo em Paris por causa do trabalho… e uma amiga me sugere… por que não vai ao Monte Saint Michel? Primeira reação foi… é muito longe… tá doida… vou ficar morta para trabalhar na 2ªf… Depois vou verificar as hipóteses… e as menos cansativas… Existiam 3 hipóteses:

1 – Excursão: em autocarro

2 – Por conta própria – Comboios intercidades

3 – Por conta própria –  TGV

Proponho a uma colega de trabalho o passeio… e vi receptividade… pronto… já tá… agora vamos ter que ir… 🙂

Após verificar as 3 hipóteses, decidimos que o comboio seria menos cansativo… e o TGV apesar de ser mais caro… era o meio mais rápido e menos cansativo… para quem tenha mais tempo… recomendo o intercidade, fizemos um “mix” , fomos nos TGV que sai da Gare de Montparnasse das 08:09 até Dol De Bretagne, com chegada às 10:43 (os tickets podem ser comprados com antecedência na própria gare e também é possível comprar online – TGV = 87 Euros; Intercidade= 27 Euros). Os tickets são comprados “conjugados” com os autocarros (8 euros), tanto o de ida quanto o de volta, tudo correu lindamente… no horário previsto e sem qualquer stress, os transportes realmente funcionam em França… Em Dol de Bretagne, apanhamos o autocarro que nos levava até a cidade de Saint Michel, que dá acesso ao Monte Saint Michel e que também tem uma vanete gratuita que leva e traz até ao monte… e ainda tem como hipótese…ir numa charrete…

Optamos por ir andando até o Monte… e apreciando a linda paisagem… O que acha? Não vale a pena a caminhada?

Na volta, apanhamos o autocarro no mesmo local, partimos às 18:06… em direcção a vila de Villedieu Poelles (chegada às 18:51), e o comboio Intercidade saiu às 19:06, tendo duração de 4 horas (chegada às 22:05 à gare de Montparnasse).

Como podem verificar, a duração da viagem é inversamente proporcional ao preço do bilhete… quanto menos demora… mais se paga… mas valeu a pena a conjugação da ida de TGV e o retorno de intercidades, os comboios são muito confortáveis… não se sente passar o tempo… a paisagem é linda… principalmente a do fim do dia… por isso… mais um prazer do que propriamente uma viagem cansativa… recomendo!!! Estivemos durante 6 horas visitando o monte, o que verifiquei ser suficiente…

Ao chegar a vila de Saint Michel… já estará a apreciar a paisagem fantástica do monte… da ponte que liga ao monte e também poderá observar “formiguinhas” andando pela areia…

É isso mesmo… parecem formigas… diversos pequenos grupos de pessoas fazendo um dos passeios mais cobiçados de quem vai até ao monte… o passeio pelas areias com um guia…. você deve se perguntar… por que preciso de um guia para andar de uma lado para o outro pela areia? as areias anualmente apanham de surpresa alguns turistas e pode ocorrer uma fatalidade… além de não conhecermos bem as marés e podermos ser apanhados de surpresa quando a maré está a encher… também existe o risco de areia movediça… achava que não existia? que era uma lenda… pois não é… existe e pode ser supreeendido no caminho para o monte, a areia é escorregadia e tem pontos de areia movediça… Este passeio não cheguei a fazer, mas ainda volto lá para fazer 3 coisas:

  • Passeio guiado pelas areias
  • Ver o castelo iluminado a noite
  • Dormir dentro do monte para poder assistir o subir e descer das marés

Mas vou relatar o que aproveitei nesse dia… ao entrar nas muralhas do Monte Saint Michel… parece que voltamos no tempo… e estamos algures na idade média… é simplesmente encantador andar pelas ruelas estreitas…

Sempre a subir em direção à Abadia (pode-se comprar o bilhete antecipadamente no site), principal monumento encontrado no monte…. A abadia é desde 1979 classificada como património mundial da UNESCO Agora vou deixar aqui um pouco mais da história:

“O Monte Saint-Michel (francês Mont Saint-Michel) é uma ilha rochosa na foz do Rio Couesnon, no departamento da Mancha, na França, onde foi construído uma abadia (abadia do Monte Saint-Michel) e santuário em homenagem ao arcanjo São Miguel. Seu antigo nome é “Monte Saint-Michel em perigo do mar” (Mons Sancti Michaeli in periculo mari).

Este mosteiro, fortificado no século XIII, integra um conjunto com mais três cidades cujas fortificações e desenvolvimento são notáveis: Aigues-Mortes (1270-1276), ponto de reunião dos Cruzados rumo à Terra Santa, Carcassone, célebre por suas defesas, e Avinhão, sede alternativa da Cristandade (1309-1377). Estas cidades fortificadas, denominadas “bastides” marcavam a fronteira dos reinos ao final da Idade Média, servindo como elementos de defesa e dando ao povo novas oportunidades sociais. Foram construídas mais de 300 só na França, entre os anos de 1220 e 1350. Além das “bastides”, foram projetadas e construídas em toda a Europa, de Portugal à Polônia, e nomeadamente no sudoeste da França, entre 1136 e 1270 aproximadamente, numerosas “villeneuves” (cidades novas), que muito contribuíram para o nascimento e consolidação de uma classe social burguesa.

Arquitetura:

arquitetura prodigiosa do monte Saint-Michel e sua baía constituem o ponto turístico mais frequentado da Normandia e um dos primeiros da França, com cerca de 3 200 000 visitantes por ano. Uma estátua de São Miguel colocada no topo da igreja abacial culmina a 170 metros de altura. Diversos prédios e habitações do sítio são, a título individual, classificados como monumentos históricos (a igreja paroquial desde 1909, por exemplo) ou inscritos no inventário suplementar de monumentos históricos.

A vista a partir da Abadia é linda… neste dia… vimos uma cena bastante curiosa… pessoas fazendo praia nas areias em volta do monte… Apesar do dia ter amanhecido “esquisito”… o sol abriu… e bastante forte!!!

Marés:

O monte era ligado ao continente através de um istmo natural que era coberto pelas marés altas. Ao longo dos séculos a planície alagável em torno foi sendo drenada para criação de pastagens, reduzindo a distância do rochedo à terra, e o rio Couesnon foi canalizado, diminuindo seu aporte de água e acelerando o assoreamento da baía. Em 1879 o istmo foi reforçado e tornou-se uma passagem seca perene. Em 2006 o governo francês anunciou um projeto para tornar novamente o monte uma ilha com a construção de barragens, devendo ser completado em 2012. A última linha de trabalho é agora visível ao pé das muralhas.

Ao longo dos anos… o monte foi sofrendo alterações… ao nível de arquitectura… até chegar ao formato actual…

Podes verificar como estava pela manhã a maré….e como estava ao irmos embora…

Hospedagem e Restaurantes

Ao entrar nas imediações da muralha, fiquei bastante surpresa com a hipótese de poder se alojar no interior do monte, adoraria fazer… e fica nos meus planos para uma próxima visita…

Quanto aos restaurantes, escolhemos para almoçar um com vista para a baía, comemos muito bem!! e por um preço bastante simpático, tinham as “famosas” Formules para o almoço e valia mesmo a pena. Não resisti aos “moules et frites” com um copo de vinho branco a acompanhar… e de sobremesa… tarte normande… adorei!!! Podem conferir nas fotos abaixo 🙂

Espero que com esse post… se você ainda não conhece o Monte Saint Michel… possa conhecer um pouquinho através da minha experiência… que não apenas recomendo… como irei voltar um dia para passar a noite no monte…e fazer o passeio gruiado pelas areias…

Qualquer dúvida ou comentário, estejam a vontade em partilhar… o que eu souber ajudo, o que não souber… posso pesquisar…

Logo ao chegar a vila… encontram um centro de turismo… em que as pessoas que lá estão são super simpáticas e disponíveis a esclarecer qualquer dúvida…

Espero que tenham gostado… de mais um post de Naboavida.blog!! se gostou…deixe seu like!

.

Ilhas Maurícias – Desporto e Lazer

Há 10 anos, quando estava a trabalhar em Angola, resolvi num dos flybacks para Portugal, aproveitar para parar na Africa do Sul (nesta época a SAA ainda voava de Angola para Lisboa) e “dar um pulinho” até as Ilhas Maurícias. Por que tive essa idéia? Como fui sozinha… devia ser um lugar que tivesse com o que me entreter durante o dia, de preferência algum desporto… As Maurícias pareceu o destino perfeito… Mergulho e Windsurf num mesmo resort… praias fantásticas, país calmo para visitar sozinha, e um destino que nunca tinha sequer pensado em fazer… e que teria a oportunidade de ir…

Reservei tudo por uma agência… o Indian Resort Hotel e um carro para nāo ficar todo o dia dentro do resort… conhecer a ilha… bingo! boa escolha… hotel fantástico… como tinha um centro de windsurf e um de mergulho… quando nāo tinha vento… mergulhava e vice-versa, quando ficou mal tempo…fui passear até Port Louis (capital das Maurícias)…

Depois de parar em Moçambique, Johannesburg, finalmente cheguei as Maurícias, de noite.. claro!!… 1 dia de viagem para encontrar o paraíso…Ao chegar a locadora… o rapaz que me atende… pergunta…conhece a ilha? claro que nāo!!!! ele olha… pensa… e ri… diz: bem…nós estamos aqui… e o seu hotel é aqui… tipo do outro lado da ilha…e de noite!!!! Mas como tem sempre gente muito boa nesse mundo…ele me diz… espera um minuto…volta e diz…vem comigo! me apresenta um taxista que vai levar um cliente para um resort do lado do meu… e a quem eu devo seguir!!! Bom…logo na saída primeiro mico…māo inglesa… entro do lado errado do carro…começam todos a rir… e ainda bem que fui seguindo alguém…assim eu o seguia também nas rotundas e entradas de ruas… fui direitinho até o resort!!

No dia seguinte… pequeno almoço com a vista abaixo… pensei….isso tem tudo pra correr bem… o que vocês acham??

Agora, vāo viajar um pouco comigo pelo que fiz pela ilha, para perceberem que correu mesmo muito bem… Eu fiquei em Le Morne…

Nāo era o local mais famoso… e aonde as pessoas que conheço que ja visitaram as Maurícias costumam a ficar… normalmente optam por Flic and Flac.. passei por lá um dia..e nāo me arrependo da minha opção de estadia… no resort que fiquei tinha um Club Mistral de Windsurf e uma escola de Mergulho… o que me garantiu ocupaçāo e companhia todos os dias… a equipa do Club Mistral era fantástica…entāo diariamente acordava…pequeno almoço e lá ia eu me sentar no Club Mistral para ver como estava o vento e a que horas eu ia para dentro d’água…ou se eu ia conversar com o pessoal do mergulho… para combinar o meu mergulho do dia… ou se ia dar uma volta de carro pela ilha… Um dos dias chego no club mistral e me dizem…tem uma tempestade se aproximando… com ventos fortíssimos e hoje não vamos operar… pensei…pronto… lá foram as férias para o brejo…mas felizmente… passou mais afastado… do que o que estavam a espera…

Neste dia, aproveitei para ir a Port Louis…conhecer a capital e como era a ‘cidade grande das Maurícias. Fiquei bastante surpreendida com a quantidade de empresas que estavam instaladas.

Na volta, passei por Flic and Flac para ver como era a praia, aproveitei para dar um mergulho…afinal a tarde o tempo já estava fantástico de novo… Infelizmente nāo achei nenhuma foto da praia… naquela época nao usava o telemóvel para fotografar… nāo tinha selfies… era só câmeras mesmo…

Voltando para os lugares por onde passei… todos os dias dava uma voltinha para conhecer algum lugar novo… um dos pontos turísticos na ilha… é o Parque Chamarel… aonde podemos encontrar as 7 cores de terra (Essa incrível paisagem se formou pela ação erosiva do solo de basalto e pela combinação de seus minerais com a chuva. Esse coquetel, junto com o clima cálido, favorece a decomposição da argila no exterior. Mais surpreendente ainda é o fato de as cores estarem separadas por camadas. Ou seja, se você misturar a terra de diferentes cores, ela acaba se separando novamente por camadas.)

No mesmo local aonde encontramos as 7 cores da terra, encontramos as tartarugas gigantes…

No mesmo parque encontramos as cascatas de Chamarel… Maurícias nāo é apenas praia… tem muito mais paisagens para serem admiradas.

Do Parque também temos uma vista privilegiada do mar…

Voltando um pouco para o desporto e para o Resort… O Club Mistral era composto de uma equipa super simpática, que me fez companhia todo o tempo em que eu estava na praia..Sempre que você se disponibiliza a ir para um local de desporto… com certeza irá encontrar outras pessoas que estão lá com o mesmo propósito que você… por isso dificilmente se sente sozinho…

Quando nāo estava com o grupo do windsurf…estava com o grupo do mergulho… que muitos dias me fizeram companhia também no jantar… pessoas de diversas nacionalidades estavam lá ou para fazer o batismo, curso de mergulho… ou para aproveitar as férias para mergulhar um pouco… Fiz dois dias de mergulho… o primeiro fomos para um ponto mais fundo aonde vimos peixes maiores e o segundo para peixes menores… Essas duas figurinhas eram os dive masters do mergulho… super divertidos e profissionais… Estava eu distraída tirando foto da manta que passava….até que o dive master puxa minha barbatana… vinha o tubarão e eu nao tinha visto…

Ao ir para os pontos de mergulho….passávamos pelo pessoal que fazia windsurf e kite após a a arrebentação… uma barreira que existia..e que fazia uma lagoa mais a frente…e depois ficava mar aberto..

A praia do resort era uma delicia…e se cansasse de ficar na praia tinha a hipótese de ir fazer massagem no spa… ou ficar numa das 3 piscinas disponíveis no resort… (nāo encontrei essas fotos… mas que tinha… tinha… foi pena…)

Quanto a noite… tinham 3 hipóteses de restaurantes para jantar… um internacional…um de grelhados… e um indiano… Claro que experimentei todos.. e diariamente tinha shows diversos a noite…ou seja… nunca me senti sozinha nesta viagem… a noite os companheiros de mergulho vinham ter comigo para ver as fotos… No dia que ia ter a festa na praia com o pessoal do mergulho… tive pena porque choveu muito a noite e nāo teve a festa…

Se gostou… ou ficou com vontade de se aventurar sozinho numas viagem… como eu já fiz algumas… deixe seu comentário… e seu like… se quiser algumas dicas ou recomendações… estejam a vontade… será um prazer ajudar..

Até breve em NaBoaVida.blog!!

Foto do dia #9

Almoçando e admirando o sol… rampa do Centro Náutico do Clube Desportivo de Paço de Arcos

Foto do dia #8

Dando um saltinho a Salvador…

Carnaval em Salvador – Você já foi??

Recordar é viver… Quando ainda morava no Brasil, adorava passar o Carnaval em Salvador, em 2005 nāo resisti… fui de novo!!!!

Já estava morando em Portugal desde o Ano 2000, e passar o Carnaval longe do Brasil me custava tanto quanto passar o Natal longe da família… mas o Natal eu nāo falhava e ia sempre passar com a família. Finalmente decidi em 2005 trocar as datas… passei meu aniversário e o Carnaval no Brasil…mais precisamente em Salvador!!! Sempre gostei de sair nos Blocos… principalmente os do Chiclete com Banana (“Camaleāo”), ou nos blocos  do Asa de Águia (“Me Abraça”)… Adorava!!!!! Me acabava de dançar e de me divertir!!!

Antes ou após o Carnaval, sempre íamos dar o passeio turístico para as compras no Mercado Modelo…e passear pelo Pelourinho!!! Adoro o ambiente, ver a apresentação da capoeira no Mercado, apanhar o Elevador Lacerda para subir até o Pelourinho….e muitas vezes também ia a Igreja do Bonfim para agradecer e rezar por mais um ano!!

Outra sugestão pós carnaval, que ja fiz uma vez…é apanhar o barco, que sai do porto em frente ao Mercado Modelo para Morro de Sāo Paulo… quando fui… eram 4 horas de barco… a experiência no barco nāo foi das melhores… mas atualmente tem lanchas que vāo muito mais rápido e nāo enjoamos… Morro de Sāo Paulo é fantástico… pena nāo ter fotos digitalizadas para partilhar…. quando  for ao Rio vou digitalizar… e atualizo o post…

Quem nunca foi à Bahia… se tiver oportunidade… nāo perca essa chance… é uma terra mística e cheia de encantos… adoro!!! Visitem o Farol da Barra, Praia do Forte, Costa do Sauípe… Se conseguir estender o passeio, deve ir também a Porto Seguro, Trancoso, Arraial d’Ajuda…tantos lugares lindos para visitar!!! Um dos Estados mais bonitos do Brasil, sem duvida…e mais alegre também!!! Adoro a Bahia e se você for…vai adorar também!!

Espero que tenha apreciado a minha experiência e que tenha ficado com vontade de visitar a Bahia… e conhecer o baianos e baianas!! comer um acarajé da baiana da rua… ou ir ao Restaurante da Dadá ou ao Yemanjá comer o que há de melhor na gastronomia baiana… adoro!!! moqueca de camarāo, casquinha de siri… fico com água na boca só de lembrar…

Se já conhece, deixe sua opiniāo, se nāo conhece, deixe o que gostaria de conhecer!! Até o próximo post Na Boa Vida.blog!!

Foto do dia #2

Vista do passeio marítimo de Algés ao vir almoçar no Siesta… o que acha dessa vista acompanhada de uma Margarita ?

Do Porto à Gaia… Pela Ponte D.Luís

Você já foi do Porto à Vila Nova de Gaia (Gaia) caminhando pela Ponte D.Luís?

Na visita que realizei ao Porto recentemente, fizemos o trajeto: Torre dos Clérigos, Estação de São Bento, em seguida fomos até a Sé (Catedral do Porto ), situada no coração do centro histórico da cidade do Porto. A Sé é um dos principais e mais antigos monumentos de Portugal, o início da sua construção data da primeira metade do século XII, e prolongou-se até ao princípio do século XIII. Esse primeiro edifício, em estilo românico, sofreu muitas alterações ao longo dos séculos…

Após visitar a Sé, resolvemos atravessar a Ponte D.Luís, para ir da Cidade do Porto para Vila Nova de Gaia… cruzando o Rio Douro… Esta ponte tem uma particularidade, possui dois tabuleitos de estrutura metálica, sendo que no tabuleiro superior passa o Metro do Porto… e no tabuleiro inferior passam pedestres (peões) e automóveis… Por isso, se vai parar no meio da rua para tirar fotos…porque a vista é mesmo fantástica… esteja atento!!!… porque pode vir o Metro!!! Foi o que me aconteceu… e saí correndo do meio da rua devido a buzina que ouvi!!!

Ao chegar a Gaia, visitamos rapidamente,  porque encontrava-se fechado… o Mosteiro da Serra do Pilar. 

Já cansados de andar…sentamos na mureta, compramos castanhas… que em Portugal é a cara do Outono… e é uma delícia… comemos apreciando a vista que tínhamos da Ribeira do Porto…

Resolvemos não descer a pé para as caves… e valeu super a pena… apanhamos o teleférico que liga a parte superior da ponte D.Luis às Caves no Cais de Gaia… a vista do teleférico é linda… conseguimos apreciar  todo o deck dos barcos e das caves…

Finalmente chegamos ao cais de Gaia para realizar a visitas às Caves, o bilhete que adquirimos para o teleférico, dava direito a uma prova de vinho na Cave da Quinta Santa Eufêmia…